Despindo os gastos mensais da Aposentada

Eu tenho uma leve suspeita de que esse vai ser um dos posts favoritos do blog. Digo isso com base na minha própria curiosidade sobre os gastos mensais dos outros. Eu sou aquele tipo de pessoa que não resiste e pergunta, “mas quanto você pagou por isso?”. Mas minha suspeita também tem como base o número alto de blogs postando atualizações mensais de gastos. Se a oferta é grande, então a demanda deve ser alta.

Já adianto que não pretendo fazer atualizações mensais dos meus gastos. Eles não variam tanto assim para ser um assunto interessante. E não pretendo mudar meu padrão de vida nos próximos anos. Como já se passaram 6 meses que eu vivo como aposentada em São Paulo, os gastos aqui apresentados são bem fiéis ao meu estilo de vida.

Moramos na cidade de São Paulo, que muitos acham que é cara. Mas depois de 1 ano viajando pelo Brasil, vi que tem suas vantagens. O alto custo de moradia é facilmente compensado pelo baixo custo de transporte público. E as opções de lazer gratuitas são o suficiente para te manter entretido por um bom tempo.

Ah, outro comentário importante é que aqui em casa cada um tem a sua própria liberdade financeira. Eu e meu marido somos casados com separação total de bens e nosso único patrimônio em comum é o apartamento em que moramos. Então a gente divide igualmente apenas os gastos da casa. E temos um cartão de crédito que só utilizamos para contas que beneficiam à ambos (supermercado, restaurantes, corridas de Uber). Essa fatura a gente divide igual todo mês. Os demais gastos, cada um paga o seu.  

Não temos filhos. Ainda vou escrever mais sobre essa decisão, mas por ora basta saber que eles não fazem parte do nosso plano. Como ainda somos jovens, e a gente nunca sabe o dia de amanhã, eu optei por congelar os meus óvulos e diminuir o peso do relógio biológico nessa equação.

Agora chega de introdução e vamos para os gastos, que eu sei que vocês estão ansiosos. A seguir dou uma breve explicação sobre as principais categorias.

Gastos com moradia

Não temos gastos com aluguel ou parcela de financiamento. Nós moramos em um Studio de 27m2, que compramos à vista em 2019 pelo valor de R$230mil.

A decisão de comprar à vista ao invés de parcelar foi porque adquirimos na planta. Nesses casos o desconto à vista costuma ser bem elevado (o imóvel estava sendo anunciado por R$270mil). Além disso, os contratos de compra de imóveis na planta costumam ser reajustados pelo IGPM. E é muito difícil comprar algum ativo que te proteja contra altas do IGPM. Dado que o IGPM acumulou uma alta de 60% entre 2019 e 2022, nossa opção de comprar à vista foi uma decisão acertada.

Nosso gasto com moradia foi reduzido na mesma proporção que reduzimos os metros quadrados. Os gastos com IPTU e condomínio são baixos porque são divididos com mais de 200 vizinhos. E não temos gasto com faxineira. Eu faço a limpeza do meu apartamento em 1h, enquanto a limpeza da minha academia, lavanderia, escritório e piscina já está inclusa no condomínio. É muito prático viver assim.

Gastos com transporte

Nosso Studio fica numa região central de São Paulo, próximo à uma estação de metrô e outra estação de trem. Também fica a menos de 1km de distância de um terminal de ônibus. E temos uma estação de bicicletas do Itaú na porta de casa e nossa região é repleta de ciclo faixas. Eu prefiro utilizar as bicicletas do Itaú porque o custo anual é compensado pelo custo de manutenção, fora a praticidade de entregá-las na estação e não ter medo de serem roubadas.

Minha escolha por transporte é sempre nessa ordem: ir a pé ou de bicicleta. Se for um trajeto mais distante, opto por metrô, trem e em último caso ônibus. E só quando está de madrugada, e o metrô não funciona mais, ou quando me sinto insegura, eu peço um Uber. Eu vendi meu carro em 2016, quando comecei a traçar minha trajetória FIRE, e desde então não sinto falta.

Gastos com alimentação

Eu costumo comer fora apenas 2 vezes na semana, então 90% das nossas refeições são feitas em casa.

A base da nossa alimentação são legumes e verduras orgânicos. Eu assino a cesta Diferente (se você quiser receber 20% de desconto na primeira cesta, clique aqui). Eu poderia economizar indo a freiras de orgânicos, mas ter a cesta entregue toda semana em casa diminui as desculpas para não cozinhar.

Já os grãos, proteínas e outros alimentos semi-industrializados, assim como produtos de limpeza, eu compro em mercados como o Atacadão. Ele é distante de casa, mas como os produtos costumam ser entre 30-50% mais baratos, eu pago feliz a taxa de entrega de 10% da CornerShop. As vezes frequento os mercados chiques, como St Marchê ou Pão de Açúcar, para comprar itens específicos, como azeite trufado. Porque eu sou frugal e não mão-de-vaca, então pizza aqui em casa é sempre regada a azeite trufado!

Gastos com saúde

Esse é sem dúvidas o maior medo das pessoas que se aposentam: como eu vou pagar meu plano de saúde? E os reajustes anuais tão acima da inflação?

Antes de mais nada, espero que você já tenha se convencido de que as condições necessárias (embora não suficientes) para ter saúde são três. Alimentação saudável, atividade física e baixo stress. Então se você trabalha que nem um condenado, e não tem tempo para cuidar da alimentação e malhar, saiba que não há plano de saúde no mundo que resolva. A minha saúde com certeza está melhor aposentada do que quando eu trabalhava com um plano que me dava direito ao hospital Einstein.

Mas acidentes acontecem. Cuidar da saúde não é o suficiente e você pode precisar de uma ajuda profissional quando menos espera. Nós vivemos em um país com saúde pública, e acho válida a opção de algumas pessoas de dependerem do SUS durante a aposentadoria. 

Essa não foi a minha escolha e decidi comprar o plano da operadora Alice. Eu vejo três vantagens da Alice. A primeira é ser um plano de saúde familiar, ou seja, os reajustes são controlados pela ANS. A segunda é incluir o hospital Oswaldo Cruz e o laboratório Fleury, que oferecem serviços de altíssima qualidade. E a terceira é o time de saúde, composto por médico geral, enfermeiro, nutricionista e preparador físico. Ainda pretendo escrever mais sobre esse plano de saúde, mas por ora basta dizer que estou muito satisfeita com a minha decisão. Se você quiser fechar com a Alice também, utilize meu código (LIL120), e nós dois ganhamos 30% de desconto por três meses.

Gastos com assinatura

Aqui em casa temos uma regra simples de pagar apenas pelo o que usamos. Então só temos um serviço de streaming por vez. Ano passado, tínhamos Amazon Prime. Enjoamos do catálogo deles, e trocamos pelo Netflix. E só vamos mudar para outro serviço quando a gente cancelar o Netflix.

Eu pago pelo Youtube porque é a ferramenta mais poderosa da atualidade. Reformei meu apartamento seguindo vídeos no Youtube. Faço aulas de violão e de francês pelo Youtube. Então pagar a mensalidade parece um ótimo custo benefício. Com a vantagem adicional de não ser bombardeada por propagandas que estimulam o consumismo.

Meu plano de celular eu decidi com base no preço. Planos de celular e internet não contam com a minha fidelidade. Eles me ganham só se forem baratos. Nosso plano de celular é o Vivo Easy (use meu código MR7L5KT para ganhar R$10). Funciona como uma espécie de pré-pago e você só paga pelo o que utiliza. Pelas minhas pesquisas, é o plano de celular mais barato. Mas se tiverem outra sugestão de plano mais barato, comentem abaixo que eu ficarei feliz de saber.

Gastos com viagens internacionais

Os gastos acima não incluem os gastos com viagens internacionais. Ainda não fizemos nenhuma viagem esse ano, mas nosso orçamento anual é de 4 mil dólares por pessoa. As viagens de final de semana e próximas da nossa região já estão inclusas nos gastos com lazer.

Viagens internacionais são o nosso luxo. Não me importo de comprar roupas em brechó, cortar meu próprio cabelo e morar em 27m2. Essas não são as minhas válvulas de escape. Na verdade, passar uma tarde num salão de beleza está longe de ser a minha ideia de prazer. Mas viajar é o meu momento de extravasar.

Nós poderíamos ter nos aposentados um pouco antes do previsto, mas aí teríamos que cortar os gastos com viagem internacionais. E isso seria uma privação para nós, então trabalhamos mais um pouco e juntamos uma grana que está investida fora do país. Esse dinheiro está 100% em ETF de S&P e utilizamos a regra dos 4% para os saques anuais. A viagem é um luxo, então se o S&P despencar em um ano, a gente pode facilmente ajustar esse gasto para baixo ou até eliminá-lo em um ano.

Antes de terminar…

Os gastos apresentados são muito parecidos com os que eu tinha quando trabalhava. A exceção é o gasto com plano de saúde, que surgiu agora na aposentadoria. Mas esse gasto tem sido facilmente compensado com gastos menores com o Studio. Antes a gente morava em um apartamento maior e numa região mais valorizada, então os gastos com limpeza, utilities, condomínio e IPTU eram maiores.

Também reduzimos bastante o gasto com lazer. Quando eu trabalhava, a minha sensação de não ter tempo para nada era tão grande que eu compensava com uma agenda social ultra ocupada. Eu costumava encontrar meus melhores amigos e familiares toda semana. Como eu não tenho amigos frugais, esses encontros às vezes custavam caro.

Mas assim que a gente se aposentou, eu e meu marido compramos um trailer e viajamos pelo Brasil durante um ano. A viagem trouxe várias descobertas e pretendo escrever sobre o sabático em um post específico. Mas umas das descobertas foi que gostamos muito do nosso tempo sozinhos. E como somos ambos frugais, esses momentos de casal são bem econômicos. Como o dia só tem 24h, aumentar o tempo que curtimos como casal, diminui o tempo disponível com nossos amigos gastões. Não que eu os ame menos, é só que eu percebi que não preciso encontrá-los tanto assim.

O exercício de escrever esse post foi interessante. Percebi que minha vida está mais econômica do que eu antecipava. Mas também achei que os gastos com lazer e compras estão elevados. Talvez eu me lance em um desafio de reduzir esses gastos.

Caros leitores, fiquei “nua” financeiramente nesse post, então não me deixem sozinha. Comentem abaixo. Vocês estão sendo mais econômicos do que eu? Alguma sugestão? Vocês acham que estou economizando do tipo sendo mão-de-vaca ao invés de frugal em alguma categoria?

Não perca nenhum post!

Aposentada aos Trinta

23 comentários em “Despindo os gastos mensais da Aposentada

  1. Aposentada aos Trinta

    Amei o post!
    Só reforçou que cada um sabe o seu número e os seus próprios gastos…
    Lendo seu post percebo que eu e meu marido temos perfil de gasto similar ao de vcs. Mas a nossa variável de desequilíbrio é uma criança…. que no orçamento doméstico custa o equivalente a nós dois juntos….
    Percebi q consigo ser frugal comigo, mas não com ela…
    Não gastamos em compras ou com consumo desenfreado. Mas por outro lado além da escola particular de primeira linha e muitas atividades extracurriculares ainda tem uma pessoa que fica por conta dela.
    Gostei do seu blog pq me fez refletir…já sabia dos números mas analisá-los per capta destravou outra perspectiva =)

  2. Achei o seu estilo bem equilibrado, vc gasta com coisas importantes p vc. Tem plano de saude e gastos com lazer, não é o modo de vida muquirana que alguns pregam (o “economize um café todo dia e terá x após 5 anos”).
    Algo que me chamou a atenção foi que vcs são casados com separação total de bens. Como vcs chegaram a essa escolha? Um de vcs tem o patrimonio muito discrepante em relação ao outro? Eu penso ser a melhor forma de união, mas é tão complicado vc propor isso. Parece que a pessoa já está pensando no momento do divorcio, kkk..

    1. Oi Grazziela!

      Propor separação total de bens é um assunto delicado. No nosso caso, fez muito sentido. Foi tão natural que não lembro quem propôs, mas sei que os dois concordaram e não houve debates.

      Nós tínhamos formação e carreira parecidas, não tínhamos filhos e a dupla jornada era bem dividida aqui em casa. Casar com separação de bens gera um alinhamento de incentivos muito claro, e para mim era muito importante saber que o fruto do meu trabalho ficaria comigo. Eu não queria alguém controlando o quanto eu me esforçava para economizar ou para ganhar mais dinheiro. Assim como também não queria controlá-lo.

      Com relação ao patrimônio, ele começou com um patrimônio mais elevado (ele é 4 anos mais velho que eu). Mas a minha carreira foi mais bem sucedida em termos financeiros. Então nos aposentamos com o mesmo patrimônio, na mesma data. Foi uma coincidência incrível, e reconheço a sorte que tive nesse aspecto.

      Então acredito que cada caso é um caso. O importante é conversar. É um assunto espinhoso, mas evitá-lo só deve piorar as coisas. Ainda mais quando finanças é tão importante para você!

      1. é verdade, o melhor é encontrar alguém com filosofia de vida alinhado com vc.
        Me parece mais dificil chegar a essa escolha de separação total de bens se um dos dois tem um salario muito maior que o outro, ou patrimonio muito maior, porque parece que vc ou é egoista ou é interesseira (embora seja nessa situação de alta discrepancia que se recomenda mais a separação total!).
        Continue postando os seus nudes!

        1. Concordo que é mais difícil quando há uma desigualdade muito grande de renda e patrimônio. Ainda assim, acho contornável para que não caia nessas situações egoísta/interesseiras. Conheço casais que dividem os custos proporcional a renda, por exemplo. Se um ganha R$10 mil, e o outro ganha R$5mil, então o primeiro paga o dobro do valor das despesas mensais que o segundo. Assim já gera um alinhamento de incentivos! O segundo não vai querer acelerar nos gastos porque vai ter que pagar a sua parte também.
          Adorei os “nudes”, vou adotar no próximo post!

  3. Oi Elsa, que bom que você tem um novo blog! O “Sempre Sábado” deixou saudades… É sempre interessante ver o orçamento de outras pessoas e comparar com o nosso. Acho que o meu nível de frugalidade familiar é próximo do seu. 🙂 A diferença é que temos uma filha, o que muda um pouco o perfil dos gastos. Adorei a ideia de um investimento no exterior para garantir viagens internacionais!! Um detalhe que notei: o seu total mensal não deveria ser (1.975/2+2.889) = 3.876,5, excluindo os gastos anuais?

    1. Oi Fernando! Eu também estava com saudades do Sempre Sábado!

      Muito obrigada pela dica. Realmente estava errado, eu estava dividindo os meus gastos por 2, ao invés dos gastos do casal. Infelizmente meu gasto por mês subiu em 10%, rs. Aproveitei para corrigir dois erros nos gastos anuais também, que não estava considerando a divisão com meu marido. Mais uma vez, obrigada pelo toque!

  4. Oi Elsa.
    Gostei muito do seu post. Queria perguntar algo mais direcionado para o meu caso. Acho que sua planilha até bate com a minha mas eu tenho aluguel e carro, além de dois filhos que estão em escola pública.
    Você acha que quanto a mais por mês isto adicionaria a sua planilha, considerando remover transporte publico e Uber. Sei que não tem como responder com nada exato, mas teria alguma ideia para me ajudar? obrigada

    1. Oi Rafaela!

      Quanto ao aluguel, os apartamentos no meu prédio estão sendo alugados por cerca de R$3mil por mês (com mobília). Então só de aluguel, eu adicionaria cerca de R$1,5mil a mais por mês, porque dividiria o aluguel com o meu marido.

      Quanto ao carro, é mais difícil fazer essa conta. Depende do carro que você tem, quanto paga de IPVA, se optou por ter segurou ou não, e se gasta muito combustível no mês. A minha sugestão, caso carro seja absolutamente necessário para você, é comprar sempre um carro usado, com pagamento à vista e o mais econômico possível com combustível. Respeitando essas 3 regras, você provavelmente vai ter um carro da forma mais eficiente e frugal possível!

  5. Seu plano de investimentos para viagens internacionais é uma inspiração para nós. Começarei a fazer isso hoje mesmo, colocar no S&P lá fora e tirar os 4% lá só para viagens. Brilhante!!

    1. Oi Jacques! Que bom que serviu de inspiração!
      Eu achei a forma mais direta de garantir essas viagens internacionais. Assim não tem sofrimento se o câmbio for para 10. Eu apelidei minha conta lá fora de “hedge da felicidade”. O dinheiro já está dolarizado e a viagem garantida!

  6. É ótimo ver a forma que as pessoas vivem e gastam.. se as pessoas fossem mais frugais muitas já poderiam ser Fire, desde que priorizassem. Parabéns Elsa, grata por compartilhar conosco!

    1. Oi Cinthia!
      Infelizmente falar sobre dinheiro é tabu. Confesso que até terminar esse post estava em dúvida se a reação das pessoas seria “você gasta muito” ou “você gasta pouco”, rs, tamanha nossa falta de referência.
      Os gastos são a principal variável da vida FIRE. A mais controlável de todas.
      Aumento de renda e investimentos tem muitos fatores incontroláveis.
      Então olhar com carinho os meus gastos sempre foi a minha maior motivação na estratégia FIRE!

  7. Elsa que bom que está de volta, era fã do “Sempre Sábado”, estou amando todos os seus posts.
    Realmente você é uma frugal original. Estou aqui pensando sobre meus gastos e como posso enxugar muitas coisas e ainda sim viver bem.
    Parabens por sua exposição, sinceridade e competência por administrar tão bem seus gastos. Você é uma referência pra mim. Beijão

    1. Oi Suzana querida! Que bom te ter de volta 🙂

      Obrigada pelo título de frugal original. É algo que carrego com orgulho rs.

      E fico feliz de saber que já te incentivei a olhar com mais carinho os seus gastos. Isso é um ótimo estímulo para eu continuar postando aqui!

      Beijos

  8. Oi Elsa (ou AAT?!)! Só hoje botei em dia seus posts aqui, curti todos e acho que irão ajudar muita gente.
    Achei seus gastos factiveis para um orçamento base, mas não há uma linha de miscelâneas? Talvez não tenha tido nesses últimos 6 meses de vida fixa, mas é incondicional que você tenha gastos com vestuário, cinema, livro, show, presentes (aniversários, casamentos), viagens nacionais (até uma ida pra Cotia gasta um troco), etc.

    Minha curiosidade é sobre o que veio primeiro: você estabeleceu um teto de meta (ex: 4k/mês) ou simplesmente planilhou seu consumo natural, já que a frugalidade está entranhada?

    Beijos

    1. Oi AC! Vamos mudar pra Aposentada, rs.

      Obrigada por ler os posts, que bom que gostou 🙂

      Tem uma linha de lazer que incluem essas miscelâneas. É quase 50% do meu gasto mensal 🙂 e realmente não faria sentido deixá-las de fora!

      Primeiro veio a planilha do consumo. Eu tenho uma planilha com todos os meus gastos mensais desde 2015. Quando eu passei a ter como meta me aposentar cedo, comecei a olhar com mais carinho para esses gastos e fui fazendo cortes. Nunca tive como meta gastar X, sempre foi partindo de como eu já consumia e o que eu poderia fazer para melhorar.
      Alguns exercícios ajudaram. Por exemplo, ficar um ano sem comprar coisas para mim ou para a casa. Isso mudou totalmente minha relação com compras e idas ao shopping, rs. Ou então ter um orçamento fixo para gastos com alimentação. Também fortaleceu os músculos de substituição. Hoje já é bem natural comparar preços quando vou às compras!

      Beijos!

  9. Show de post. Adoro ver os gastos dos outros também e comparar com o meu. Claro que é difícil comparar morando aqui fora mas dá pra pegar as planilhas de quando eu morava ai e calcular a inflação média acumulada.
    Não gastar com moradia e com carro é sem dúvida fantástico e leva a um gasto mensal muito baixo como o seu, de pouco mais de 50% do SMN do Dieese. Muito bom!! Abcs

    1. Oi AA40!
      Sim, comparações com fora do país são mais difíceis.

      Gostei da comparação com o salário mínimo do Dieese. Pelo o que eu vi, é em torno de 6.400 reais para uma família de 4 pessoas. Então daria 1.600 por pessoa.

      Tem a questão da moradia que eu não pago aluguel, mas também tenho alguns luxos a mais que talvez uma pessoa vivendo com o mínimo do Dieese não teria, como meus gastos com lazer (é quase metada do meu gasto mensal) e com plano de saúde.

      Abs!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topo
×